Você pode fazer a diferença!

Home » Histórias de Transplantados » Ray Guatura – Nenhum fardo é em vão

Ray Guatura – Nenhum fardo é em vão

Como chegamos a um problema de saúde? E como lidar com um problema de saúde?

Se você for uma criança, como foi o meu caso, acho que é um pouco mais fácil a adaptação, pois há uma vida toda pela frente para se viver com a sua nova rotina. Mas, se você for mais velho, você pode já ter vícios ou maus hábitos com a sua saúde, e isso deve ser mudado, antes que você chegue à falência de órgãos.

Descobri a Diabetes aos 9 anos de idade. Naquela época, eu vivia uma rotina como a de qualquer criança, sempre agitada e sempre gostei muito de esportes, mas o cansaço fácil e mal estar não ajudavam a render no Karatê e muito menos no Futebol. Um esporte coletivo onde todos me criticavam pois eu não conseguia correr e era literalmente lerdo, cheio de dores nas pernas e sem vontade nenhuma de estar ali.

Eram as altas taxas de açúcar que descobri em um posto de saúde perto de casa. Lembro até hoje, janeiro de 1999, o dia em que a enfermeira tirou o meu sangue e ele saiu preto, extremamente escuro. Me assustei com aquilo. Ela se aproximou de minha boca, e sentiu o meu hálito doce com um cheiro de maça muito forte, e ela falou para a minha Mãe que eu estava Diabético e deveríamos esperar sair o resultado do teste de Glicose.

Quando chegou o exame, estava lá, uma criança de 9 anos com 577mg de glicemia. A partir daquele momento minha rotina mudou, com internações anuais, sempre após os finais de ano e diversas vezes visitando endocrinologistas e rezando para os exames estarem no limite do que é esperado para um diabético.

Por volta de 1999, não haviam a quantidade de  informações que temos hoje sobre os estragos que uma Diabetes faz, sendo uma doença silenciosa e que tem diversas causas no corpo de uma pessoa. Eu pensava que eu deveria maneirar nos carboidratos, fazer esporte e tomar a minha Insulina NPH duas vezes ao dia e acabou!

Alguns anos depois, comecei a ouvir que a doença poderia levar a cegueira, perda de membros, cicatrização lenta, impotência sexual e vários outros problemas.

Em 17 anos convivendo com diabetes, eu assumo que pelo menos 9 desses anos eu não tive muita disciplina, até passar com a endocrinologista, Doutora Fátima Claro Cristovão e decidir me cuidar, tomar mais de um tipo de insulina, freqüentar nutricionistas e entender mais sobre o meu problema!

Na adolescência eu sempre fiz esportes, mas ao mesmo tempo, consumia bebidas alcoólicas, comia besteira e como publicitário e designer gráfico que sou, não dormia bem a noite, vivia sobre alto nível de estresse e sempre vivendo e vivendo e vivendo sem qualidade de vida como que se não houvesse amanhã…

Eu passei por uma Polineuropatia, uma Retinopatia e uma Gastroparesia e sempre achando que as coisas não fossem piorar e isso só fosse acontecer por voltar dos meus 70 anos ou mais. (E que Deus me ajude que eu viva tudo isso… rsrs)

Até que em janeiro de 2015, eu estava inchado e com a pressão mega alta e já havia parado de consumir bebidas alcoólicas há mais de um ano e fazendo tratamento conservador para a Insuficiência Renal, e o mais temido ocorreu! Eu fui para na Hemodiálise com uma creatinina por volta de 15mg.

Dali em diante quando eu havia começado esse tratamento conservador, eu já temia a hemodiálise e sabendo que iria perder o funcionamento renal eu procurei informações e passei a seguir o grupo de Transplante de Pâncreas e Rim no Facebook e a equipe Hepato, que um ano depois iriam realizar o meu transplante.

Essa história é longa, cheia de dramas e aprendizados, mas é linda. E só estamos nessa vida para evoluir e sermos melhores a cada dia. Nada é por acaso e nenhum fardo é em vão!

Há dor, há sofrimento, há dias de fraqueza e dias de jogar tudo pro alto!

Porém, mais do que isso, houveram na maior parte dos dias, muita persistência, muita luta, muita busca de saúde, muita alegria, parceria de alguns, afastamento de outros, e muito esporte. Que te mantém vivo e cheio esperança e alto estima. E sobre esportes, se você puder faça! E nunca deixe a atividade física de lado. Ela ajuda a trabalhar a sua mente e o seu corpo e te dá vida.

Uma nefrologista me falou que eu não poderia fazer esportes, pois forçaria o que restou de funcionamento dos meus rins! Um enfermeiro da clinica de Hemodiálise me falou que eu não poderia, pois iria forçar a minha fistula, e na verdade basta que ela não seja pressionada na atividade física!

O esporte foi o que me manteve firme e com o meu corpo e mente em dia. O esporte te livra de muitas depressões!

E de tudo isso o que tiramos? O que aprendemos?

Aprendemos que nada somos, mas que tudo podemos ser! Aprendemos que o fim do mundo é para quem está morto, e que enquanto houver vida não devemos deixar de viver. Nos divertir, fazer o bem, ter Fé sempre inabalável, cultivar bons amigos e ignorar quem não te representa, quem não te liga, quem te ignora e quem só te procura quando lhes convém!

Se tem algo que aprendemos quando somos desafiados a sermos fortes e firmes, é que não conhecemos nossas forças, até que a vida te põe a prova e te deixa enfermo com um problema de saúde e sua família sofrendo com você. Isso dói, pode crer que ver as pessoas sofrendo por um problema seu, dói mais do que a sua enfermidade.

E você sorri, prossegue e mostra ser forte! Controlando reações e sendo sempre FORTE. É clichê demais o FOCO, FORÇA e FÉ, mas nunca fez tanto sentido.

O que quero deixar a todos que estão sob longos dias de sofrimento, seja por qual motivo for, é que o seu olhar sob a vida vai fazer toda a diferença!

Temos muito para viver, temos muito o que fazer e eu me sinto responsável por passar a minha experiência com um problema de saúde e um transplante duplo de pâncreas e rim com muito sucesso para quem estiver na mesma situação ou para quem estiver sofrendo por qualquer outro motivo. Qualquer um mesmo, pois se trata de visão em frente ao precipício.

Não deixe de trabalhar, de estudar, de se divertir, de crescer e progredir!

Não sei da fé de ninguém, mas a minha é clara e objetiva, e me diz que o sofrimento é passageiro e graças a DEUS foi, e o seu também será. Pensar positivamente e correr atrás do seu progresso, da sua saúde e de boas ações vai te levar aonde deseja.

Agradeço nesse dia 25 de Fevereiro pelo Primeiro Ano de Nova Vida, de Transplante Duplo! A DEUS que sempre me manteve firme e em pé em todos os momentos, a minha FAMÍLIA que viveu todos os dias complicados ao meu lado e vive preocupada comigo e sempre me chamando a atenção e me orientando, aos meus VERDADEIROS AMIGOS que vivem preocupados comigo e que me procuram sempre que fico alguns dias ausente, a TODOS que de alguma forma me mantiveram positivo e passaram sempre boas energias, positividade, Fé e a minha presença em suas oração diárias. VOCÊS estão em cada uma das minhas e eu estou com vocês!

Aos médicos cirurgiões e nefrologistas da maravilhosa equipe Hepato dos Doutores Marcelo Perosa e Tercio Genzini, e o cirurgião que realizou o transplante de meu Pâncreas e Rim, Dr. Juan Rafael Brañes.  Antes de serem estes profissionais da saúde, são pessoas extremamente cuidadosas e preocupadas comigo e me fazem ter a cada consulta a certeza e segurança de que estou em boas mãos!

Agora por último e não menos importante, agradeço a família doadora dos órgãos, que mesmo em um momento de dor e perda de um familiar, teve o gesto de amor em doar os órgãos de seu ente querido e salvar algumas vidas, dentre a qual, a minha também esperava na fila de transplante, e graças a Deus, há 1 ano chegou e estou muito Bem e Feliz.

#EternaGratidao #DoeOrgaos #SalveVidas #DeixeViver

Muita saúde, Deus nos abençoe e vida longa a todos nós…

 

4 Responsesso far.

  1. Bruna Camini disse:

    Aquele texto que modifica vidas. Parabéns Ray, por toda essa força, coragem e garra que tem. Pode ter certeza, que sua história de vida influência não somente quem está nesta lista mas os que estão na vida propriamente.
    Espero que Deus te dê solo fértil para nos transmitir mais e mais seus pensamentos e aprendizados.
    Você é muito especial, te adoro muito.
    Beijos Bruna Caminho

    • Raryond Guatura disse:

      Impactar Vidas Positivamente! Essa é a nossa missão nesse mundo Bruna.
      Obrigado por todo o seu carinho e você já sabe da importância de ser um doador, estou aqui para te contar essa história e relembrar a importância de sermos solidários a essa causa.
      Deus abençoe a todos nós.

  2. Dayane disse:

    Muito lindo essa depoimento a respeito de sua experiência, palavras de Força de Fé. Que Deus continue o abençoando muito você merece guerreiro. E que Deus abençoe a todos que o ajudaram inclusive a família do doador.💚

    • Raryond Guatura disse:

      Dayane, Obrigado pelo seu comentário.
      Você já sabe da importância de ser um doador, estou aqui para te contar essa história e relembrar a importância de sermos solidários a essa causa. Deus abençoe a todos nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *