Você pode fazer a diferença!

Home » Doação de Órgãos » O que a novela está falando de errado sobre doação de órgãos?

O que a novela está falando de errado sobre doação de órgãos?

 

Recentemente muito tem sido discutido e falado sobre o tema doação de órgãos desde que a novela da Globo “O outro lado do Paraíso” vem abordando o tema através da história da personagem Adriana, que necessita de um transplante renal.

Uma novela é uma peça de FICÇÃO e NÃO NECESSARIAMENTE tem compromisso com a verdade. Seu objetivo principal é entreter.

Por isso achamos bacana esclarecer alguns pontos, de forma a reconhecer e prestigiar o tão sério trabalho de tantos profissionais de saúde que LUTAM TANTO todos os dias pela doação de órgãos

1. É perfeitamente possível viver com apenas um rim. Se a pessoa perder os dois rins existe ainda a alternativa da hemodiálise. Milhares de pessoas no Brasil fazem hemodiálise e vivem super bem com QUALIDADE DE VIDA

NA NOVELA – O enredo passou a idéia de que não é possível viver com apenas um rim.

2. Entrar na fila do transplante é uma ESPERANÇA, um motivo para acreditar que uma vida melhor possa ser alcançada através da doação de órgãos, e não um motivo de tristeza e lamentação.

NA NOVELA – O enredo deu a entender que entrar na fila de espera é algo triste e que ser chamado para o transplante é difícil e improvável.

3. Uma pessoa não pode, mesmo que de livre e espontânea vontade, doar seu rim e cobrar por isso. Em primeiro lugar é necessário ser compatível para poder ser doador, ter compatibilidade sanguínea e genética com o receptor. Em segundo lugar quando há desejo de fazer uma doação de órgãos em vida, seja de um rim, parte do fígado ou parte do pulmão, e o doador for parente de até segundo grau do receptor, é necessário protocolar no Ministério Público documentos (do doador, receptor e mais duas testemunhas) de forma a atestar o envolvimento entre as partes, doador e receptor, a livre vontade e que não há comércio envolvido. Caso o doador não seja parente de até segundo grau é necessário além disso uma autorização judicial para a realização do transplante. Como o nome diz deve ser uma “DOAÇÃO”, sem envolver qualquer valor monetário e por isso em geral são familiares que DOAM POR AMOR. Isso significa que o comércio de órgãos no Brasil é proibido, mesmo que fosse da vontade de ambas as partes isso é proibido. Mesmo que a ajuda fosse de “coração” e fruto de gratidão isso configura venda.

NA NOVELA – O pai de Adriana diz que custearia os estudos de Nicolau, um policial interessado em doar o rim para Adriana, caso este o fizesse. Isso é proibido e é crime.

4. O processo de notificação de morte cerebral e acolhimento familiar É EXTREMAMENTE SÉRIO, profissionais estudam muito para se capacitar a fazer um acolhimento familiar e APENAS profissionais e equipes de saúde podem acolher familiares.

NA NOVELA –  Na novela a família de Adriana, que precisa de um rim, abordou a família de Patricia uma menina que tinha acabado de ter morte cerebral confirmada e por isso era uma potencial doadora. Isso não existe na realidade. Por lei as famílias não podem se conhecer. E os órgãos quando doados são distribuídos de acordo com a ordem na lista de espera e com a compatibilidade entre doador e receptor.

5. Nunca em hipótese alguma numa abordagem se “pede” uma doação, ao contrário SE OFERECE O DIREITO DE DOAR, que é o gesto mais lindo que existe: o de FAZER O BEM SEM VER A QUEM. É uma escolha que a família deve fazer sozinha entre seus pares, e que deve ser RESPEITADA e nunca julgada. O profissional deve prover acolhimento e informação para que a família tome a melhor decisão.

NA NOVELA – Na cena a família de Adriana, que precisa de um rim, constrangeu familiares de uma potencial doadora a autorizarem a doação de órgãos.

6. No Brasil quem autoriza a doação de órgãos é a FAMÍLIA. Não adianta ter no RG, no testamento, ou escrito em qualquer lugar. Apenas sua família deve saber, pois é ela que vai um dia exercer sua VONTADE e seu DESEJO. Não existe no Brasil cadastro nacional de doadores.

NA NOVELA – O advogado Patrick numa cena diz que existe um cadastro nacional de doadores à família de Adriana. Isso não é verdade. Não existe esse cadastro no Brasil. Existe nos Estados Unidos e em países da Europa que tem outros sistema de doação e transplante. Mas no Brasil só a família deve saber.

7. Doação de órgãos SALVA VIDAS, todos os dias, porque pessoas num GESTO DE AMOR dizem o SIM que vai propiciar RENASCIMENTO a tantas pessoas. As pessoas doam porque se fosse um familiar, um filho, um pai, um irmão delas, elas iam querer que doassem. Elas doam por EMPATIA, por RECIPROCIDADE, por HUMANIDADE, por AMOR. Pelos melhores sentimento que um ser humano pode ter!

Falar  sobre doação de órgãos da forma correta também SALVA VIDAS! ; )

#informação #doaçãodeórgãos #transplante #seriedade #amor #soudoadororg

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *