Você pode fazer a diferença!

Home » Histórias de Transplantados » A FÉ QUE NOS TORNA UM VENCEDOR! – Por Gabriela Noronha

A FÉ QUE NOS TORNA UM VENCEDOR! – Por Gabriela Noronha

 

O impacto do diagnóstico de adoecimento com a indicação para a realização de um transplante de órgão nos leva a enfrentar uma realidade nova e desconhecida.

A necessidade de receber um órgão, em transplante, como única alternativa para sobreviver, sem sombra de dúvidas, nos traz ansiedade, medos e incertezas diante de uma inevitável espera em uma fila para a realização de uma complexa cirurgia. Nessa circunstância, se faz muito necessário que sejamos resilientes, que tenhamos a capacidade de buscar forças dentro de nós, para a superação dos desafios da espera pela cirurgia do transplante.

Para mim, foi a fé uma das maiores aliadas para lidar com esse momento. E essa fé se traduz nas nossas crenças, confiança, esperança, e o pensamento de que tudo dará certo, ou melhor, acreditando muito, costumamos dizer que “tudo já deu certo”.

Quantas vezes busquei ajuda para fortalecer a minha fé na poesia de Milton Nascimento… “… mas é preciso ter manha, é preciso ter graça, é preciso ter sonho, sempre, quem traz na pele essa marca, possui a estranha mania de ter fé na vida…” Assim a minha fé se multiplicava com a esperança de que algo iria mudar para melhor.

Muitas lágrimas me vinham ao som dos Titãs: “… quando não houver esperança, quando não restar nem ilusão, ainda há de haver esperança, em cada um de nós, algo de uma criança, enquanto houver sol, ainda haverá…” E eu seguia fortalecendo a minha fé, na confiança de que tudo daria certo.

A palavra “fé”, etmologicamente, tem origem no grego pistia que indica a noção de acreditar e no latim fides, que remete para a atitude de fidelidade. Ter fé em Deus é acreditar na sua existência e na sua onisciência. Na Biblia, em Hebreus 11:1, a fé “é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem”, assim, é típico do cristão, comportar-se e agir com fé.

Seguia eu, então, buscando minhas próprias formas de fortalecer minha fé. Também ouvia Gilberto Gil: “… a fé tá na manhã, a fé tá no anoitecer, oh, oh, no calor do verão, andar com fé eu vou, que a fé não costuma faiá, oh minina…” Ao ouvir essa canção, a sensação que eu tinha era a de que todas as energias positivas se redobravam, aumentando cada vez mais a minha esperança de que tudo daria certo.

Conhecemos várias expressões que falam de fé. Um exemplo: “a fé move montanhas”. Mário Quintana escreveu que: “viver é acalentar sonhos e esperanças, fazendo da fé a nossa inspiração maior. É buscar nas pequenas coisas, um grande motivo para ser feliz”.

“Tenhamos fé”, já nos dizia Raul Seixas em seus versos. “… veja! Não diga que a canção está perdida, tenha fé em Deus, tenha fé na vida, tente outra vez…”

Várias canções me ajudaram sustentar a minha fé, impedindo que eu perdesse a esperança de que eu alcançaria o tão sonhado transplante!!!

Para aqueles que figuram na lista para transplante de órgãos, eu desejo que a cada dia possa se fortalecer em cada um, essa fé da qual falo. Encerro com mais alguns trechos de uma das canções que mais me emocionava, pois, segundo a composição

Conquistando o Impossível, podemos dizer que a fé é “Essa força vem De dentro de você . Você pode Até tocar o céu se crer”. “… Nossos sonhos, gente é quem constrói. É vencendo os limites. Escalando as fortalezas. Conquistando o impossível Pela fé…” “ .. Campeão, vencedor. Deus dá asas, faz teu voo “ “… Campeão, vencedor . Essa fé que te faz imbatível Te mostra o teu valor “. E com muita fé desejo que todos que precisam de um transplante de órgãos sejam vitoriosos !!!

# #filadeespera #transplante #doacaodeorgaos #vitoria

Gabriela Noronha – Transplantada de fígado
Colaboradora Sou doador

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *