Sou Doador » Blog » A HISTÓRIA MEU SOBRINHO PATRICK, MENINO DOADOR DE ÓRGÃOS – Por Luciana Feijó

A HISTÓRIA MEU SOBRINHO PATRICK, MENINO DOADOR DE ÓRGÃOS – Por Luciana Feijó

No Dia das Mães, meu sobrinho Patrick Wulfhorst (leia-se pÁtrick, com acento agudo no “A”, do alemão), filho da minha irmã do meio, sofreu um AVC hemorrágico e foi diagnosticado com morte encefálica.

Um menino saudável, que evaporou de nossas vidas no auge de seus 11 anos.

Nunca havíamos falado sobre Doação de Órgãos.

Inclusive, minha irmã, mãe do Patrick, não era doadora.

O que fez nossa família dizer SIM?

Uma abordagem empática, acolhedora e esclarecedora feita pelos profissionais do hospital onde Patrick estava nos deu o total entendimento do que é morte encefálica e nos mostraram o lado de quem espera por um órgão. A sensibilidade e a capacidade de empatia de profissionais altamente qualificados fizeram a diferença.

Penso que as famílias, como um dos protagonistas neste universo, podem colaborar para sensibilizar a sociedade, doando com muita emoção no meio da despedida. E essa emoção consegue gritar muito alto em ouvidos que nunca ouviram falar em Doação de Órgãos.

A mãe do Patrick tinha medo de que ele fosse esquecido. Prometi, então, a ela que seu legado seria para “seeempre”. Para honrar a memória do Patrick. Para dar VOZ às Famílias Doadoras.

Os profissionais nos mostraram o lado dos que estão em Lista de Espera. E a capacidade de empatia desses profissionais, me remete às palavras da querida Diza Gonzaga, do Vida Urgente: “Temos que nos profissionalizar sem perder a emoção.”

Patrick nasceu em Frankfurt na Alemanha, filho de brasileiros, veio com sua família para o Brasil aos 5 anos. Aos 11 anos, deixou-nos essa lição de doação, de vida, de amor e de desprendimento. E hoje outras mães e famílias podem sorrir com a doação de órgãos do Patrick.

Meu comprometimento com a causa é por AMOR, pela VIDA e por todos que aguardam por um transplante em uma longa lista de espera.

Como diria o Patrick, com seu lindo sotaque alemão: Avise sua família de seu desejo de ser Doador de Órgãos.

Luciana Feijó é tia do Patrick, menino doador de órgãos, e é ativista na luta pela
Conscientização da Doação de Órgãos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.