Sou Doador » Blog » O SONHO DE SER MÃE APÓS O TRANSPLANTE – Por Nathalia Bertolino

O SONHO DE SER MÃE APÓS O TRANSPLANTE – Por Nathalia Bertolino

Nasci no Rio de Janeiro (RJ) e com apenas sete anos fui diagnosticada com síndrome nefrótica, que é um conjunto de sintomas e sinais, que caracterizam uma doença renal, de evolução crônica e se identifica principalmente pela perda da capacidade dos rins em reter proteínas filtradas na urina. Aos 23 anos perdi as funções dos rins. Depois de um ano na hemodiálise, senti-me muito mal e cheguei a pesar apenas 37 quilos.

Mudei-me para Joinville (SC) com meus pais, em busca de vida nova e de um tratamento humanizado na Fundação Pró-Rim. Estava muito fragilizada, mas a mudança me encheu de esperança e lá junto da equipe multidisciplinar comecei a ver o tratamento como forma de sobrevida e não o fim dela.

Em junho de 2015, estava em um supermercado da cidade quando conheci o Vinicius. Nós nos casamos e cheguei a imaginar que nunca realizaria o sonho de ser mãe. Mas, em uma consulta a esperança reacendeu. O médico me disse que após o transplante, ocorrendo tudo bem, engravidar poderia ser uma realidade e foi então que decidi mais do que nunca ir em busca do transplante e realizar o meu sonho de ser mãe.

Meu transplante aconteceu em 2017 e foi um sucesso. Aguardei dois anos, e dado esse tempo sem intercorrências, o médico me liberou para planejar a gravidez. Ainda assim, tive muito medo, pois apesar de estar bem, havia o risco de até perder meu transplante. Mas nunca me faltou fé. Eu sabia que tudo iria dar certo!

Daniel nasceu em 24 de fevereiro deste ano e completou dois meses cheio de saúde. Ver e sentir aquele ser crescendo e tomando forma mês a mês, em meio à insegurança em que vivemos, é algo tão grandioso que me faz sentir realizada e incondicionalmente feliz.

Meu filho chegou para mostrar que eu posso superar meus limites, realizar sonhos. Ele chegou para mostrar que meu coração pode explodir de amor e alegria, mesmo com muito sono, nas madrugadas frias em que o aconchego nos meus braços para alimentá-lo. Neste Dia das Mães só tenho a agradecer à minha família, à toda equipe da Fundação Pró-Rim e à graça divina que recebi.

Ser mãe transcende minhas melhores expectativas!

mãetransplantada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *